14 / 06 / 2019 - as 08:12

O I período do curso de Educação Física da Faculdade CHRISFAPI realizou, na tarde de ontem, o I Colóquio de Educação Física – COEFI, momento em que puderam expor seus primeiros trabalhos científicos, o que fortaleceu de maneira significativa o conhecimento adquirido durante todo o semestre, sendo a ministrante a Profª. Camila Teles, através da disciplina de Metodologia Científica, marcando presença também durante todo o evento o Coordenador Prof. Jairo da Costa Souza.

Confira imagens!

Fonte: Ascom Chrisfapi


13 / 06 / 2019 - as 12:42

O que era esperado foi confirmado: Marta vai estrear na Copa do Mundo Feminina nesta quinta-feira. A melhor do mundo jogará como titular contra a Austrália, às 13h (de Brasília), pela segunda rodada do Grupo C, no estádio de Montpellier - a TV Globo, o GloboEsporte.com e o SporTV transmitem ao vivo. Quem sai para sua entrada provavelmente é Bia Zaneratto.

GE

 


13 / 06 / 2019 - as 12:35

O governador Wellington Dias reuniu-se, nesta quarta-feira (12), em Brasília, com o coordenador de Infraestrutura do Banco Mundial no Brasil, Paul Procee. Na ocasião, foi tratado sobre o novo contrato de financiamento que irá acelerar o Programa Emergencial Financeiro.

Proposto pelo chefe do executivo estadual, o programa se baseia em regras para utilização das novas receitas relacionadas ao gás e ao petróleo, seja pela cessão onerosa ou pela provável distribuição dos royalties do pré-sal, após o julgamento final de recurso contra liminar da ministra Cármem Lúcia pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Wellington Dias aguarda a aprovação do programa no Congresso Nacional nos próximos dias. “O banco está animado com a proposta do Piauí. Temos todos os dados necessários por parte do Governo do Estado, um dos quatro projetos mais avançados e, após a aprovação, que deve sair até o final da próxima semana, vamos estar autorizados a celebrar o contrato com o Banco Mundial, com aval da União”, pontuou o governador.

No encontro, o Banco Mundial também se colocou à disposição para assessorar o Piauí quanto ao equilíbrio fiscal e previdenciário, além de querer realizar um estudo sobre a evolução do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Piauí. “Nosso estado é um destaque no Brasil e no mundo pela forma acelerada de desenvolvimento humano. Por volta de 2003, saímos de um IDH muito baixo para alcançar hoje um IDH mediano e com expectativa de pular para o alto desenvolvimento em 2022. É uma experiência encontrada em poucas regiões e vamos documentá-la”, disse Wellington Dias.

Também foi pauta da reunião um novo projeto de lei, que será enviado para a Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), que visa colocar na ordem do dia uma forma segura e adequada para que a regularização fundiária no Piauí seja acelerada.

Autoria: Redação CCom

 

 


13 / 06 / 2019 - as 11:10

O Festejo de Santo Antônio, uma tradição secular, é o maior evento do calendário cultural da cidade de Campo Maior, realizado pela Diocese Católica e a Prefeitura Municipal.

Segundo o Bispo Dom Francisco de Assis este ano de 2019, como nos demais anos, a tradição, o festejo está garantido porque é cultural.

“Eu estou aqui há dois anos, é identidade do povo celebrar Santo Antônio, o orgulho de Campo Maior é o festejo à Santo Antônio e claro, no festejo, o centro é Santo Antônio, a devoção do povo é a Santo Antônio, embora o festejo tenha muitas marcas culturais e sociais, mas é a fé que reúne o povo”, destacou o responsável pela Igreja em Campo Maior.

Dom Francisco declarou ainda, que o festejo seria incompleto se os que prestigiarem a festa não forem ao altar do santo, agradecer e pedir a Deus. “Sem dúvida a fé ilumina a nossa realidade, faz a vida mais leve”, destacou.  O festejo teve início no dia 31 de maio com uma procissão da imagem do santo.

A caminhada com o santo saiu do Patronato Nossa Senhora de Lourdes, Bairro de Lourdes, a Catedral de Santo Antônio, na Praça Bona Primo. Milhares de pessoas de todos os locais, municípios vizinhos, da capital e de outros estados marcaram presença a esta tradição que acontece todo ano, no mês de junho na cidade.

Por: Valdamir Alvarenga.

 


13 / 06 / 2019 - as 10:42

Uma adolescente de 17 anos foi baleada no Centro de Ensino Dep. José de Ribamar Elouf, no bairro Parque Alvorada, em TImon-MA, durante uma tentativa de assalto na noite desta quarta-feira (12). De acordo com a capitã Tyciane Ibiapina, Relações Públicas do 11º BPM, três suspeitos invadiram o colégio para tentar roubar a arma do vigilante.

"Três suspeitos pularam o muro da unidade escolar por volta das 20h. Foi uma tentativa de roubo a arma do vigilante. Na troca de tiros, uma adolescente foi baleada na perna. Três viaturas se deslocaram imediatamente ao local, mas os suspeitos se evadiram", disse a capitã.

O subcomandante do 11° BPM, major Yaslan Batista, informou que a jovem atingida é prima de uma aluna. A adolescente foi levada para a UPA e, em seguida, para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT), sem risco de morte. 

cidadeverde

 


13 / 06 / 2019 - as 10:37

Um comerciante residente no município de Alegrete do Piauí, identificado como Antônio Sabino de Lima – “Rapaizinho” como era conhecido, foi morto a tiros na cidade de Nova Mutum, no Estado do Mato Grosso, na tarde desta quarta–feira, (12). As informações são do Cidades na Net.

De acordo com informações extraoficiais, o crime aconteceu em uma churrascaria, quando “Rapaizinho”, que era proprietário de um transporte coletivo, parou para almoçar e foi alvejado.

A triste notícia comoveu toda a pequena cidade de Alegrete do Piauí. É grande o número de mensagens espalhadas pelas redes sociais. Onde familiares e amigos lamentam a perda.

“Rapaizinho” deixa sua esposa, quatro filhos, uma enteada e três netos. A família já providencia o translado do corpo para sua cidade, Alegrete do Piauí.

 

 


12 / 06 / 2019 - as 10:33

Os estudantes selecionados na chamada regular do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) podem, a partir de hoje (12), fazer matrícula nas instituições de ensino para as quais foram selecionados. O prazo vai até o dia 17. Cabe aos candidatos verificar os dias, horários e locais de atendimento definidos por cada instituição em edital próprio.

O resultado da chamada única do Sisu foi divulgado segunda-feira (10) e está disponível no site do programa.

Os estudantes selecionados podem pleitear auxílio para pagar transporte, moradia e outras despesas nas próprias instituições de ensino superior, de acordo com determinados critérios, como renda familiar. Os programas de assistência estudantil são implementados diretamente pelas instituições.

Lista de espera
As vagas que não forem preenchidas serão ofertadas para os estudantes em lista de espera. Quem não foi selecionado em nenhuma das duas opções de curso feitas na hora da inscrição na chamada única e quiser integrar a lista tem até o dia 17 para fazer a adesão, no site do Sisu

O candidato deve acessar o sistema e, em seu boletim, clicar no botão que corresponde à confirmação de interesse em participar da lista de espera do Sisu. O estudante poderá manifestar interesse para a primeira ou segunda opção de curso. Ao finalizar a manifestação, o sistema emitirá uma mensagem de confirmação.

Esses estudantes serão convocados a partir do dia 19. A convocação para a matrícula será feita pelas próprias instituições de ensino. Nessa etapa caberá aos próprios candidatos acompanhar a convocação na instituição na qual estiverem pleiteando uma vaga.

Sisu 2019
Nesta edição, o Sisu oferece 59.028 vagas em 76 instituições públicas de ensino em todo o país. A seleção é feita com base no desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018. Para participar é preciso ter obtido nota acima de zero na redação do exame. Ao todo, 640.205 estudantes se inscreveram no programa, de acordo com balanço divulgado pelo MEC.

Fonte: Portal cidadeverde.com


12 / 06 / 2019 - as 10:27

Varejo perde força após 2 meses de relativa estabilidade, o que reforça a leitura de estagnação da economia brasileira. Hipermercados e vestuário puxaram recuo.

As vendas do comércio varejista caíram 0,6% em abril, na comparação com o mês anterior, no pior resultado para meses de abril desde 2015 (-1%), segundo dados divulgados nesta quarta-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A queda acontece após uma alta de 0,1% em março e queda de 0,1% em fevereiro, na comparação com o mês imediatamente anterior, reforçando a leitura de perda de ritmo do setor e de estagnação da economia brasileira em 2019.

Na comparação com abril de 2018, entretanto, houve alta de 1,7%.

O IBGE revisou os resultados dos últimos meses. Em março, ao invés de uma alta de 0,3% como inicialmente divulgado, as vendas do setor avançaram apenas 0,1%. Em fevereiro, houve queda de -0,1% ante leitura anterior de estabilidade. Já em janeiro, a alta foi maior que a inicialmente divulgada, de 0,6%, e não de 0,5%.

No acumulado nos 4 primeiros meses do ano, a alta ficou em 0,6%. No ano passado, no mesmo mês, o setor acumulava avanço de 3,4%.

Em 12 meses, as vendas do varejo ficaram praticamente estáveis, acumulando alta de 1,4%, ante 1,3% em março.

A gerente da pesquisa, Isabella Nunes, destacou que a queda em abril ocorre após dois meses consecutivos de relativa estabilidade. "Só essa observação já nos mostra uma perda de ritmo no ano de 2019", disse.

Com o resultado de abril, setor está 7,3% abaixo do recorde alcançado em outubro de 2014. Segundo a gerente da pesquisa, isso equivale a um patamar semelhante ao que o setor operava em setembro de 2015.

"Ainda tem um longo caminho a ser percorrido para que o comércio varejista volte a registrar taxas semelhantes às de 2014 [quando o setor bateu seu recorde de vendas]", afirmou.

5 das 8 atividades têm queda

Das 8 atividades pesquisadas, 5 registraram queda no volume de vendas em abril, na comparação com março. Segundo o IBGE, a retração no varejo foi puxada pelo segmento de hipermercados (-1,8%), que caiu pela terceira vez seguida, e vestuário (-5,5%), que teve o segundo mês negativo.

Segundo Nunes, desde a greve dos caminhoneiros no ano passado "os alimentos mostram uma evolução de preços". Ela destacou que, em abril do ano passado, a inflação acumulada em 12 meses para os alimentos estava em -4,78%. Já em abril deste ano, o indicador registrou alta de 9,10%.

Conjunturalmente, enfatizou, o país tem um grande contingente de desempregados e um mercado de trabalho que segue estagnado. "Essa situação dificulta o crescimento da massa de rendimentos, que é o que impulsiona o consumo", afirmou a pesquisadora do IBGE.

Veja o desempenho de cada segmento em abril:

  • Combustíveis e lubrificantes: 0,3%
  • Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo: -1,8%
  • Tecidos, vestuário e calçados: -5,5%
  • Móveis e eletrodomésticos: 1,7%
  • Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria: -0,7%
  • Livros, jornais, revistas e papelaria: 4,3%
  • Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação: -8%
  • Outros artigos de uso pessoal e doméstico: -0,4%
  • Veículos, motos, partes e peças: 0,2%
  • Material de construção: 1,4%

“Todas as atividades estão em trajetória descendente [em 12 meses], à exceção de outros artigos pessoal e de uso doméstico, a única que mostra crescimento, mas que tem pouca participação na receita total do setor”, destacou a gerente da pesquisa, explicando que grande deste último segmento é representada pelas lojas de departamento, virtuais e físicas, que vendem uma gama variada de produtos.

Incertezas e perspectivas

Os primeiros indicadores de maio mostram que a atividade econômica segue em ritmo lento, com um nível de consumo ainda bem abaixo do período pré-recessão, em meio à incertezas sobre o ritmo de tramitação de reformas no Congresso e elevado desemprego.

produção industrial cresceu 0,3%, em abril, na comparação com o mês imediatamente anterior, mas o avanço foi insuficiente para recuperar a perda de 1,4% de março. Nos 4 primeiros meses de 2019, o setor industrial passou a acumular uma queda de 2,7% frente ao mesmo período de 2018.

O 1º trimestre foi marcado por uma perda de força da economia, reforçando a leitura de uma atividade econômica estagnada. O PIB (Produto Interno Bruto) recuou 0,2% nos 3 primeiros meses do ano, na comparação com o 4º trimestre, a primeira retração da economia desde 2016.

O índice que mede a confiança do comércio voltou a cair em, retornando ao mesmo nível de setembro de 2018, segundo pesquisa da Fundação Getulio Vargas (FGV).

De acordo com a última pesquisa Focus do Banco Central, o mercado reduziu a projeção de alta do PIB em 2019 para 1%. Foi a 15ª queda consecutiva do indicador. E parte dos analistas já fala em PIB abaixo de 1%, abaixo do resultado registro em 2017 e 2018, quando a economia cresceu 1,1% em cada um dos anos.

Fonte: G1



PUBLICIDADE