30 / 05 / 2020 - 09h30
Firmino Filho apresenta critérios para reabertura do comércio

Segundo Firmino Filho, a previsão para reabertura dependerá da taxa de reprodução da doença, porém o retorno será feito em fases.

O prefeito de Teresina, Firmino Filho, apresentou nesta sexta-feira (29) as estratégias para retomadas das atividades econômicas na cidade. Segundo ele, a previsão para reabertura dependerá da taxa de reprodução da doença, porém o retorno será feito em fases e após consulta pública.

Para retorno das atividades em fases, a Prefeitura de Teresina destacou sete métricas ou critérios que devem ser atendidos no primeiro momento:

  1. Medir e monitorar a taxa de reprodução da doença: mede quantas pessoas um portador do vírus consegue infectar em um determinado tempo. Para métrica ser atendida, a taxa de contaminação deve ser menor ou igual a 1.
  2. Diminuir o número de internações: quando houver diminuição constante do total de internações por coronavírus ao longo de duas semanas, o critério é atendido.
  3. Diminuir o número de óbitos: se há um redução continua de óbitos durante duas semanas, o critério é considerado atendido.
  4. Capacidade de leitos de obervação e enfermaria: para reabertura, devem haver pelo menos 30% de leitos de observação disponíveis, assim como 30% de leitos de enfermaria e disponíveis.
  5. Capacidade de leitos de UTI: devem haver pelo menos 30% do total de leitos de UTI disponíveis antes da reabertura.
  6. Fortalecer a capacidade de testagem: a reabertura depende da capacidade de se realizar, no mínimo, 1.000 testes por dia (1,2% da população por dia).
  7. Fortalecer a capacidade de rastreamento de contatos: a prefeitura necessita de no minímo 60 rastreadores de contato para cada 100 mil habitantes, isto representa 520 agentes treinados para atuar como 'detetives da Covid' de porta em porta, distribuídos na zona urbana e na zona rural de Teresina.

Atendidos os critérios, as fases de reabertura devem seguir a relevância econômica das empresas e o risco de contaminação, além dos critérios da circulação de pessoas na cidade. Firmino Filho destacou que cada atividade e setor econômico deve ter o seu protocolo, com um plano de segurança para guiar a sua rotina.

"O retorno não será de uma hora para outra, mas faseada, precisamos ter responsabilidade. Melhor não pesar no bolso, mas na razão.O comércio atacadista aglomera pessoas no centro, diferente da construção civil, por exemplo. Vamos levar essas questões para uma consulta pública virtual, discussão na câmara, imprensa e todos os setores", declarou o prefeito.

Cada fase deve durar, a princípio, 14 dias. Contudo, a passagem para a fase seguinte dependerá de um bom desempenho do município. "Caso haja retrocesso, como um novo pico, voltamos para o início", declarou Firmino Filho.

Decretos determinam distanciamento social

Para evitar a contaminação pelo vírus, o isolamento social e medidas emergenciais foram determinadas por meio de decretos do governo do estado e das prefeituras, como na capital piauiense, para que a população fique em casa e evite ao máximo ir às ruas. Aulas em escolas e universidades, a maioria das atividades comerciais, esportivas e de serviços em geral estão suspensas por tempo indeterminado.

Serviços essenciais como farmácias, postos de combustíveis e supermercados continuam mantidos mas estão regulamentados. O atendimento em clínicas, hospitais e laboratórios, assim como o funcionamento de escritórios de advocacia e contábeis também foram liberados mediante cumprimento de regras.

O uso de máscaras em locais públicos tornou-se obrigatório em todo o estado. Policiais fazem abordagens nas fronteiras do estado a ônibus e veículos particulares. Os decretos preveem que quem descumprir as regras pode ser penalizado com multa ou até prisão.

Prevenção, contágio e sintomas

Lavar as mãos de forma correta, uso de álcool em gel, sempre usar máscaras, evitar contato pessoal e aglomerações de pessoas são algumas das orientações para evitar o contágio da doença.

É importante também ficar atento quanto aos principais sintomas (tosse seca, congestão nasal, dores no corpo, diarreia, inflamação na garganta e, nos casos mais graves, febre acima de 37° C e dificuldade para respirar). Um guia ilustrado preparado pelo G1 ajuda a tirar dúvidas.

Fonte: G1



Publicidade